Vice-campeão mundial, Parré melhora tempo de Kobe no Meeting Paralímpico Loterias Caixa do DF

Vice-campeão mundial, Parré melhora tempo de Kobe no Meeting Paralímpico Loterias Caixa do DF

O Meeting Paralímpico Loterias Caixa de Brasília, Distrito Federal, foi palco para o atleta Ariosvaldo da Silva, conhecido como Parré, 46, melhorar a marca alcançada no Mundial de Kobe, no Japão, em maio, nos 100m da classe T53 (cadeirantes), oportunidade em que garantiu a medalha de prata. Neste sábado, 15, correndo em casa, o paraibano radicado no DF desde a infância, reduziu o tempo de 15s05, registrado no Japão, para 15s01 na pista do Centro Integrado de Educação Física (CIEF).

O Distrito Federal teve tanto provas para o alto rendimento como também disputas para atletas em desenvolvimento, com Seletivas Estaduais das Paralimpíadas Escolares, Paralimpíadas Universitárias, Paralimpíadas Militares e Intercentros (competição entre alunos do projeto Centros de Referência do CPB, com idade de 7 a 10 anos). O Centro Integrado de Educação Física (Cief) recebeu 199 competidores do atletismo, 33 do halterofilismo e 24 da bocha. Além disso, o Clube do Exército teve provas com 66 nadadores e a Federação de Tiro com Arco do Distrito Federal sediou disputas com 22 arqueiros.

“A gente já chegou em uma fase de treinamento que agora é cuidar para não perder essa pegada, para não perder o foco e manter essa velocidade. É preciso continuar com esse tempo para chegar em uma final nos Jogos Paralímpicos de Paris e brigar por um pódio”, disse Parré, representante da ADD/SP e que já fez 14s64 nessa mesma prova, em abril deste ano, em São Paulo. Aos 18 meses de idade, Ariosvaldo teve poliomielite e ficou com os membros inferiores paralisados.

“O resultado foi muito bom, o que mostra que estamos na direção correta. Esses eventos servem para verificar se estamos no caminho certo, e estamos”, ressaltou o atleta, que também venceu a prova dos 400m (53s11) em Brasília.

Ainda no CIEF, a nova geração compareceu abrindo espaço para futuros talentos. Acompanhado da família, Rafael de Souza Cunha, 10, participou da sua primeira competição. Empolgado com a torcida, ele, que começou a praticar atletismo no ano passado, conseguiu bons resultados nas classes T e F20 (deficiência intelectual), com as marcas de 25s78 nos 100m, 32s06 nos 200m e 1,45m no arremesso de peso. Incentivado pelos pais a iniciar no atletismo por gostar muito de correr no dia a dia, o menino voltou para casa com três medalhas de ouro.

No halterofilismo, quem conseguiu superar o seu próprio desafio foi Mateus Moreira na classe até 49 kg. Mateus nasceu com mielomeningocele, uma má-formação na medula espinhal, e treina há oito anos para superar a barreira dos 100 kg. “Hoje, tive uma vitória pessoal com os 101 kg na barra”, ressaltou o jovem de 23 anos, que conseguiu a classificação para o Brasileiro da modalidade no fim do ano no Centro de Treinamento do Comitê Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

Além de halterofilista, Mateus é também um influenciador digital e usa as suas plataformas para inspirar outras pessoas com deficiência. “Eu quero mostrar para pessoas que nós podemos fazer o que quisermos”, afirmou.

Na natação, Élcio Junior, nascido em 2003, foi o destaque na piscina do Clube do Exército com três medalhas de ouro na classe S11 (deficiência visual). A sua melhor prova foi nos 50m livre, com o tempo de 30s49. Élcio também venceu nos 100m livre (1min12s16) e nos 100m peito (1min39s81).

Meeting Paralímpico em 2024
A temporada do Meeting Paralímpico Loterias Caixa de 2024 começou em fevereiro com etapas simultâneas em Porto Alegre (RS) e Rio Branco (AC). O evento já passou, também, por Florianópolis (SC), Porto Velho (RO), Curitiba (PR), Cuiabá (MT), Salvador (BA), Campo Grande (MS), Goiânia (GO), Aracaju (SE), Recife (PE), Palmas (TO), Belo Horizonte (MG), João Pessoa (PB), Natal (RN), Vitória (ES), Rio de Janeiro (RJ), Fortaleza (CE), Boa Vista (RR), Teresina (PI), São Luís (MA), Manaus (AM), Macapá (PA) e Belém (PA). Além disso, foi realizada uma etapa em Pilar (AL) neste sábado. A competição termina a temporada em São Paulo, de 20 a 22 de junho.

Neste ano, o evento oferece mais modalidades e terá passado por todas as capitais brasileiras até o próximo final de semana. Em 2024, além de competições de atletismo, natação e halterofilismo organizadas pela Diretoria de Esportes de Alto Rendimento (DEAR) do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), os Meetings também recebem etapas regionais de competições organizadas pela Diretoria de Desenvolvimento Esportivo (DDE): Paralimpíadas Escolares, Paralimpíadas Universitárias, Paralimpíadas Militares e Intercentros (competição entre alunos dos Centros de Referência do CPB, projeto que aproveita espaços esportivos em estados de todas as regiões do país para oferecer modalidades paralímpicas, desde a iniciação até o alto rendimento). Com isso, os Meetings passam a abrigar também disputas em três novas modalidades: bocha, tiro com arco e tiro esportivo.

O Meeting Paralímpico Loterias Caixa tem o objetivo de desenvolver o paradesporto em todo o território nacional, com a participação de novos talentos e atletas de elite. É idealizado e organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) desde 2021, como uma atualização dos tradicionais Circuitos Loterias Caixa, que já eram realizados desde 2005. Entre 2021 e 2023, reunia provas de atletismo, natação e halterofilismo, sendo que cada cidade sediava disputas de, pelo menos, uma dessas modalidades.

Patrocínios
As Loterias Caixa são a patrocinadora oficial do Meeting Paralímpico Loterias Caixa
As Loterias Caixa e a Braskem são as patrocinadoras oficiais do atletismo
As Loterias Caixa são a patrocinadora oficial da natação
As Loterias Caixa são a patrocinadora oficial da bocha

Fonte: Jornal de Brasília

Recomendado Posts

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *