Após 10 anos tentando ter filhos, casal do DF espera quadrigêmeos: ‘Um sonho’

Após 10 anos tentando ter filhos, um casal do Distrito Federal teve uma surpresa neste fim de ano: uma gravidez de quadrigêmeos, por meio de fertilização in vitro (entenda abaixo). “Um sonho que a gente queria tanto por tanto tempo e se realizou ao quadrado”, diz a gestante Rayane Gebrim.

O pai, o empresário João Nogueira, também comemora a aproximação do sonho: “A única coisa que eu peço é muita saúde mesmo, para abençoar, para virem os quatro muito bem, com muita saúde. Eu acho que é o mais importante, o restante a gente ajeita”.

Casal do DF espera quadrigêmeos após fertilização in vitro — Foto: TV Globo/Reprodução

Casal do DF espera quadrigêmeos após fertilização in vitro — Foto: TV Globo/Reprodução

“Quando o médico começou a fazer o ultrassom, eu já tinha visto que tinham três [fetos]. Eu trabalhava em hospital, então eu já tinha o conhecimento das imagens de ultrassom. Foi um desespero, eu fiquei muito assustada, com muito medo, porque é uma gestação de alto risco”, diz Rayane.

Casal do DF espera quadrigêmeos
Fertilização in vitro

A técnica de fertilização in vitro, que funcionou para a família, começa com a estimulação da ovulação na mulher com hormônios, por um período de 8 a 12 dias. Os óvulos maduros são retirados e depois fecundados fora do organismo, em laboratório.

Imagem de ultrassom de casal que espera quadrigêmeos no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Imagem de ultrassom de casal que espera quadrigêmeos no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

O especialista em fertilidade Vinícius Vherum diz que casos de gêmeos são comuns em casos de fertilização in vitro, mas quadrigêmeos são raros.

“Quando transferimos um embrião, em mais ou menos 1% a 2% dos casos, ele pode se dividir e gerar uma gestação múltipla. Agora, transferir dois embriões e eles se dividirem e ter uma gestação quadrigemelar é muito raro, um pra cada dez mil casos”, explica.

Ainda de acordo com o especialista, esse tipo de gestação é de risco e tem que ser acompanhada com cuidado. “Muitas vezes, ela [gestação] termina prematuramente. Então é relativamente comum ter um nascimento entre 32 e 34 semanas, então [os bebês] devem nascer em uma maternidade que tenha UTI neonatal à disposição.”

Esperança

Rayane diz que está tomando todos os cuidados necessários, com alimentação balanceada, consultas pré-natal semanais e acompanhamento com nutricionista e cardiologista. Ela espera um 2022 bem diferente, com uma família que passará de duas para seis pessoas.

“Com muita alegria na nossa casa, a gente sonhou tanto e agora vai ser o nosso ano, o ano dos nossos bebês. A gente já está planejando tudo, uma rede de apoio mesmo, com os meus pais, com os pais do João, a nossa família mesmo vai ajudar nessa rotina”, diz Rayane.

Por TV Globo

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.